No começo a certificação era um grande desafio. Hoje é motivo de muito orgulho. Ao final de 2016, 5.440 profissionais haviam sido certificados desde que o processo teve início, em 2010. Desse total, nada menos que 1.674 já conseguiram a sua recertificação para um novo período de três anos. Um sentimento reforçado pela plena convicção, compartilhada por todos, de que se por um lado essa é uma conquista pessoal e merecida de cada profissional aprovado por experiência ou por ter tido os seus conhecimentos atestados por avaliação específica, por outro essa vitória do sistema teria sido impossível se o ICSS não tivesse se preparado tanto para torná-la possível. Um êxito marcante num curto prazo de tempo.

Enfim, assistimos a um avanço extraordinário não apenas para quem teve a sua qualificação reconhecida, ou o seu papel adequadamente avaliado, como é o caso do ICSS, mas também para todos os demais atores que contribuem, à sua maneira, para a evolução do sistema de entidades fechadas de previdência complementar. Estão aqui incluídos os grupos dos participantes, dos assistidos, das patrocinadoras, dos instituidores e, por conta deles todos, a própria sociedade brasileira.

E esse avanço é ainda maior porque a certificação significa muito mais. E seu maior significado é, sem sombra de dúvidas, a sua contribuição para a formação cada vez mais ampla de quadros profissionais altamente qualificados e cujo alto grau de preparo abre caminho para o crescimento sustentável de nosso sistema. Afinal, profissionais só se certificam se estiverem efetivamente preparados para tal, da mesma forma como um número maior de aprovados se apresenta como um convite para uma administração cada vez mais capacitada. Estabelece-se assim um círculo virtuoso, em que um elemento se soma ao outro e ajuda a todos a acelerar o passo. Estamos falando de algo que é também uma garantia aos participantes de que a confiança que depositam, ao longo de décadas, no recebimento dos benefícios será honrada pelas entidades fechadas de previdência complementar. Um verdadeiro selo a garantir a competência técnica e gerencial necessária para a melhor gestão dos recursos dos participantes.

Ao final, por sabermos que esse é um processo que continua, reiteramos o convite aos profissionais de entidades fechadas de previdência complementar​ para que se certifiquem o quanto antes e, aqueles que já o fizeram, trilhem com sucesso o caminho da recertificação buscando informar-se sobre o Programa de Educação Continuada (PEC) e as muitas iniciativas de nosso Instituto para ajudá-los a se aproximarem desse objetivo.

VITOR PAULO CAMARGO GONÇALVES

Presidente do Conselho Diretor​