Novembro/Dezembro de 2015
ENTREVISTA COM GUEITIRO MATSUO GENSO, PRESIDENTE DA PREVI

INFORME ICSS: O senhor é funcionário de carreira do Banco do Brasil. O que representa para você, em termos de realização profissional e de responsabilidade, receber a missão de administrar o maior fundo de pensão da América Latina?

Gueitiro Matsuo Genso: Sem dúvida é uma grande responsabilidade e honra ser o gestor de uma instituição da importância da Previ. Não só pelo volume de recursos sob nossa administração, mas principalmente pela quantidade de colegas e aposentados do Banco do Brasil que dependem ou dependerão um dia desses recursos. São pessoas que dedicaram uma vida inteira pela empresa e que contam com a Previ para ter tranquilidade na aposentadoria. E é isso o que fazemos há 111 anos, pagando os benefícios de milhares de famílias brasileiras. Me sinto muito feliz e desafiado em ter esse compromisso com nossos 200 mil associados. 

Quais os principais desafios em assegurar a sustentabilidade desta entidade secular, que possui mais de R$ 174 bilhões de patrimônio e 200 mil participantes?

Não somente a Previ, como o sistema de previdência complementar brasileiro enfrenta grandes desafios em função da atual conjuntura econômica mundial. Nossa missão é pagar em dia os benefícios dos nossos associados, como fizemos nesses 111 anos da Previ, até o último aposentado do plano. Para isso, temos um corpo técnico qualificado, uma governança madura e transparente e investimos os recursos em ativos sólidos.

Alguns fatores como o aumento da longevidade e as mudanças na pirâmide etária brasileira preocupam, assim como as oscilações do mercado acionário doméstico. Estamos sempre atentos aos movimentos do mercado e nossos públicos de interesse. 

Dadas as dificuldades no cenário econômico e as perspectivas de mudança no perfil demográfico da população, como responder a esses desafios com inovação e criatividade? 

Toda dificuldade ou crise oferece oportunidades, e é esse o nosso foco: encontrar novas possibilidades de atuação e de melhoria nos produtos e serviços que oferecemos aos nossos participantes. Buscamos aprender com experiências bem-sucedidas no exterior, adaptando à nossa realidade. A ideia é tentar se antecipar aos movimentos de mercado ou mesmo a novas regras a fim de vislumbrar os melhores caminhos para os planos de benefícios administrados pela Previ, otimizando os resultados. 

A Previ foi laureada na categoria "Governança" pelo 20º Prêmio Nacional de Seguridade Social, neste ano. Em que medida o incentivo à certificação e à qualificação contínua dos profissionais, gestores e conselheiros têm contribuído para o fortalecimento da governança na Previ? 

O reconhecimento em prêmios como esse são motivações extra para continuarmos buscando estar cada vez mais qualificados, visando oferecer serviços e resultados sempre melhores aos nossos associados. Na medida em que temos um time preparado e atualizado, contribuímos para o fortalecimento da nossa governança, que já é madura e referência no sistema, ao promovermos novos avanços nesse aspecto na Previ. 

Em sua opinião, o que diferencia um gestor certificado de um não certificado? 

A certificação é uma importante chancela para que tanto o mercado quanto as próprias organizações tenham um parâmetro quanto à qualificação dos profissionais, especialmente os que ocupam cargos de gestão e direção de entidades. O gestor certificado leva consigo essa chancela, de preparação e qualificação para desempenhar importantes funções organizacionais. 

O que o motivou a buscar a certificação? 

Entendo que a certificação de dirigentes e conselheiros é primordial para a boa governança das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, além de ser uma obrigação legal. Ela contribui decisivamente na promoção da qualificação de dirigentes e gestores das fundações e, consequentemente, eleva o nível da gestão, reduzindo riscos e ampliando as possibilidades de bons resultados dos fundos, inclusive no longo prazo. 

De que forma essas duas frentes (certificação profissional e a educação continuada) são incentivadas no dia a dia da Previ?

Assim como o seu patrocinador Banco do Brasil, a Previ investe e incentiva o desenvolvimento e capacitação de seus funcionários e colaboradores, sejam profissionais do corpo técnico ou gestores e conselheiros. Tanto o Estatuto e os regulamentos dos planos de benefícios da Previ quanto suas políticas de gestão de pessoas preveem normas que exigem qualificação dos seus colaboradores, ao mesmo tempo em que oferecem condições deles se desenvolverem e capacitarem. 

Como a Previ enxerga a importância do papel do ICSS para o Sistema hoje?
O trabalho que o ICSS desenvolve é de fundamental importância para o crescimento do sistema de previdência complementar fechado, uma vez que a qualificação dos profissionais que atuam nas Entidades é um dos principais fatores de diferenciação e geração de valor para o segmento.

 

Voltar

ICSS 2015 - Todos os direitos reservados
O Informe ICSS é uma publicação mensal do Instituto de Certificação dos Profissionais de Seguridade Social.
Ano II – número 13 – Novembro/Dezembro Jornalista Responsável: Débora Soares
v