Janeiro de 2016
HORA DE ELEVAR A BARRA

Célebre no mundo dos negócios, a expressão “raise the bar” (hoje popularizada como “elevar a barra” ou, ainda, “subir a régua”) possui uma origem interessante. Antes de virar um jargão do mundo corporativo, o termo já era comum nas arenas de atletismo.

Para os esportistas do salto em altura, significa a oportunidade de testar seus limites e superar um novo desafio. A cada rodada da competição, a barra que estabelece a altura vertical do obstáculo é elevada, tornando a tarefa um pouco mais desafiadora.

Fora do mundo dos esportes, a expressão refere-se à definição de expectativas cada vez maiores de qualidade ou quantidade. O ICSS começa 2016 com o desafio de elevar a barra, acompanhando a evolução dos fundos de pensão e os anseios e necessidades dos participantes e assistidos.

Nesta edição do INFORME ICSS, destacamos três novidades que convergem para esse esforço. A primeira é sobre o certificado do Instituto, que evoluiu para o formato digital. Agora o profissional que obteve a certificação poderá acessar o documento na área restrita do site.

Outro passo importante é o início da certificação por capacitação. O primeiro curso habilitado pelo ICSS para a nova modalidade já está à disposição dos profissionais e reforça o nosso entendimento de que a certificação é o reconhecimento institucional de um processo de qualificação contínua.

Destacamos ainda o trabalho ininterrupto do Instituto para a revisão dos seus processos internos, o uso mais intenso das novas tecnologias de comunicação com os profissionais (webconferência e redes sociais), e o insubstituível contato pessoal, com a continuidade das visitas às fundações.

E como estamos em um ano de Jogos Olímpicos, vale encerrar aqui com uma curiosidade: a expressão “raise the bar” foi dita pelo atleta americano Dick Fosbury antes de saltar para o ouro, na Olimpíada de 1968, na Cidade do México. Naquele momento, Fosbury bateu o recorde vigente, cravando a altura de 2,24m. E criou uma inovação: seu salto com as costas arqueadas na barra, hoje conhecido como “Fosbury Flop”, surpreendeu o mundo naquele dia e foi copiado pelas próximas gerações de atletas.

Naquela Olimpíada, Dick Fosbury uniu dois conceitos indispensáveis para o sucesso de qualquer profissional: “elevar a barra” e “pensar fora da caixa”.

 

Voltar

ICSS 2015 - Todos os direitos reservados
O Informe ICSS é uma publicação mensal do Instituto de Certificação dos Profissionais de Seguridade Social.
Ano II – número 15 – Janeiro Jornalista Responsável: Débora Soares
v